Abacate: vilão ou mocinho?

Durante muito tempo considerado como um verdadeiro inimigo da dieta, hoje o abacate é o queridinho do mundo fitness. E agora, com quem está a razão?

O abacate, cujo nome científico é Persea americana mill, é fruto do abacateiro, uma árvore originária do continente americano, especificamente da região central. É uma árvore imponente, podendo atingir 20 metros de altura, com fortes galhos, perfeitos para sustentar essa fruta que pesa frequentemente mais de 1 quilo. O abacate rapidamente se espalhou para a América do Sul, sendo posteriormente cultivado em todo o mundo, devido sua fácil adaptação a climas quentes e frios. Foi assim que ele conquistou, de vez, os paladares em todos os continentes.

 
Vários práticos típicos, de diferentes culturas, usam esse ingrediente comum. É o caso do “guacamole, prato da culinária mexicana, amplamente divulgado e consumido em todo o mundo, ou mesmo da “palta” com pão, forma como os chilenos chamam o abacate e o degustam moído com sal, em cima do pão. No entanto, existem ainda inúmeras formas de consumir o abacate. E mais do que a sua riqueza de sabor e de variedade de preparações, esta fruta também é rica em nutrientes. Vamos descobrir mais?
 
Propriedades nutricionais
 
O abacate é uma poderosa fonte energética. Sua polpa cremosa se assemelha bastante a um creme amanteigado e concentra uma grande quantidade de ácidos graxos não-saturados. Por ser rico em gordura, o abacate contém mais de 100 Kcal a cada 100 gramas, sendo mais calórico que a maioria das frutas. Além de fornecer 15 gramas de gorduras, a cada 100 gramas dessa fruta é possível encontrar 2 gramas de proteína e apenas 9 gramas de carboidrato. É por isso que o abacate é usado, cada vez mais, em dietas “low carb (baixa em carboidratos), uma das mais famosas no momento, ganhando adeptos tanto com aqueles que desejam emagrecer quanto com os que querem ganhar massa muscular.  
 
 
Gordura boa ou ruim?
Os ácidos graxos não saturados ou insaturados são considerados como gorduras boas e podem ser classificados em monoinsaturado e poli-insaturados. O primeiro é o que está presente em maior concentração no abacate, mas também no azeite de oliva, na azeitona e nas oleaginosas. O segundo é encontrado nos óleos vegetais, linhaça e no óleo de peixe, por exemplo.
Os ácidos graxos monoinsaturados estão relacionados a níveis de triglicerídeos mais saudáveis, diminuição dos níveis de colesterol total sanguíneo, diminuição do LDL (colesterol ruim) e aumento do HDL (colesterol bom), atuando assim na redução do risco de doenças cardiovasculares como infarto do miocárdio e nos demais problemas do coração.
 
Mais nutrientes e benefícios
O abacate contém ainda importantes minerais como fósforo, potássio e magnésio, além das vitaminas C e E, que se destacam pela ação antioxidante e importância na prevenção de doenças cardiovasculares. 
Sua composição especial também o torna um poderoso ingrediente para diversos tratamentos caseiros de beleza, sendo utilizado principalmente para o cuidado da pele e do cabelo.
Por estas e outras muitas razões, o abacate é um excelente alimento, um verdadeiro presente da mãe natureza. Contudo, por ser rico em gordura e possuir elevado valor calórico é importante consumi-lo com moderação e equilíbrio. 
Se você gostou do nosso artigo, compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais!