Comer ou não comer pão?

Pão... um alimento com muita história e muitos significados, mas muito polêmico no mundo das dietas para perda de peso. Descubra mais sobre esse incrível alimento e tire suas próprias conclusões sobre comer ou não comê-lo!

O pão é um dos alimentos mais populares e antigos no mundo, sendo consumido em quase todas as sociedades. Atualmente, o pão tem sido apontado como o grande sabotador das dietas para perda de peso. Isso se deve por ele ser rico em carboidrato. Porém, ele não é o único responsável pelos quilinhos a mais. 
 
1. Um pouco de história
Acredita-se que o pão começou a ser produzido na região da Mesopotâmia, onde os grãos de cereais eram moídos em pedras e depois misturados com água. A massa obtida era então cozida sobre o fogo.
 
Essa técnica foi difundida para várias civilizações da Antiguidade por muito tempo. No entanto, com os egípcios surgiu a técnica de fermentação. A fermentação deu ao pão o aspecto pelo qual o conhecemos hoje em dia. A fermentação consistia em uma mistura de água e farinha que era deixada ao sol até que se formassem bolhas, sendo o pão posteriormente assado entre pedras aquecidas.
 
A Bíblia também faz referência ao pão. Um dos primeiros relatos sobre este alimento pode ser encontrado no livro de Êxodo, no capítulo 12. “E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães asmos; com ervas amargosas a comerão. Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a Páscoa do Senhor. E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” (Êxodo 12.8, 11 e 14).
 
Essa passagem retrata a comemoração da Páscoa no Antigo Israel. As ervas amargas lembravam a todos os israelitas do quanto foi amarga a escravidão no Egito. O pão asmo era o pão sem fermento. O fermento significava aquilo que corrompe e o pão não fermentado significava a ausência de pecado, imperfeições, mácula. Trazia a mensagem de pureza espiritual, mostrando que o povo deveria se manter puro ao participar da Páscoa.
 
A cerimônia da Páscoa apontava para a morte e a ressurreição de Jesus. E antes de morrer na cruz, ao comemorar a Páscoa com os seus discípulos, Jesus usou a figura do pão para deixar uma maravilhosa mensagem de esperança a seus discípulos e a nós também! “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome [...]”. (João 6.35).
Assim o pão é também um símbolo sagrado, cercado de histórias, tradições e de muitos significados! 
 
2. Comer ou não comer pão?
O pão não precisa ser excluído da sua dieta, a não ser que você tenha alguma alergia ou intolerância específica a ele. Uma dieta saudável é, em primeiro lugar, uma dieta equilibrada e que respeita as tradições e culturas de seus povos. 
Portanto, antes de tirar o pão das suas refeições, reflita na importância e no significado que ele tem pra você, para a sua história e para a história da humanidade.  
Apesar de não ser um alimento hipercalórico, o pão é fonte de carboidratos, e, em um plano de reeducação alimentar para perda de peso, o seu consumo deve ser moderado. Contudo, o que vai mesmo determinar o emagrecimento é o deficit calórico, ou seja, quando se gasta mais calorias do que se ingere.  
Alguns cuidados a mais, principalmente com o tipo de recheio que acompanham o pão, podem fazer a diferença no saldo calórico. Manteigas, natas, geleias, queijos e molhos prontos agregam, e muito, em calorias e gorduras.  
E lembre-se: pães integrais, com maior concentração de fibras e grãos, são sempre as melhores opções!