Entendendo melhor o jejum intermitente

A regra é ficar sem comer. Quanto tempo você aguenta?

O assunto do momento é o jejum intermitente. Se trata de um dos temas mais debatidos no campo das dietas, e há quem diga que ele é um dos grandes aliados na perda de peso e na melhora da qualidade de vida.
Contudo, é uma prática um pouco polêmica, pois não há consenso por parte dos profissionais de saúde sobre seus benefícios para a saúde e para o emagrecimento.
Porém, que tal você mesmo tirar suas próprias conclusões? Continue essa leitura e entenda melhor sobre esse assunto!
 
1. O que é o jejum intermitente?
Jejum é a restrição parcial ou completa de alimentos, durante um período de tempo. No caso do jejum intermitente, a restrição é completa para alimentos, mas não para líquidos.
Costuma variar entre 10 e 20 horas de jejum, chegando até 24 horas. Pode ser feito diariamente ou em alguns dias alternados da semana. Os períodos em que a alimentação é permitida são chamados de janelas de alimentação. Nos períodos de restrição alimentar, recomenda-se a ingestão de muito líquido, que não possuam calorias, para manter o corpo hidratado. Água, água com gás e chás são alguns exemplos.
Quando chegar nas chamadas “janelas de alimentação”, é necessário realizar escolhas alimentares saudáveis, balanceadas e rica em nutrientes como proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais. De pouco adiantaria o jejum, se após passar longas horas sem sem comer, as escolhas vindouras sejam alimentos ultra processados e ricos em calorias, gorduras e açúcar.
 
O jejum intermitente é uma estratégia alimentar usada por pessoas que buscam emagrecimento e saúde. Exige força de vontade para que se deixe de comer em períodos de tempo variáveis e passe a realizar refeições em horários mais espassados e específicos.
A grande aposta de muitos estudiosos e profissionias de saúde é que o jejum intermitente, é sim, um grande investimento para a saúde.  
Dentre os benefícios, é possível pontuar os seguintes:
  • Os períodos de jejum contribuem para a perda de peso ao reduzirem o consumo calórico total da pessoa por dia;
  • Ajuda a controlar os hábitos alimentares. A disciplina adquirida para comer ou deixar de comer pode ajudar significativamente na reeducação alimentar;
  • Atua na reciclagem das células mortas – um processo chamado de autofagia. É uma espécie de limpeza do organismo, uma forma de desintoxicação, que resultará em longevidade;
  • Promove a regulação hormonal do organismo. O jejum diminui os níveis de insulina no sangue, o que contribui para a queima de gordura e reduz o risco para diabetes tipo 2;
  • Pode contribuir na prevenção doenças cardíacas, doença de Parkinson e Alzheimer, no combate ao câncer, na redução da pressão arterial e do colesterol e, até mesmo, no aumento da produtividade.
 
3. O que você precisa saber antes de começar o jejum intermitente?
Dentre as coisas que você precisa saber sobre o jejum, é que ele não é indicado para todas as pessoas. Por causa da variação na ingestão de alimentos, indivíduos diabéticos,  principalmente os que usam insulina, hipotensos ou com episódios frequentes de hipoglicemia, não é aconselhada a prática do jejum intermitente.
Essa restrição também se estende para as pessoas que apresentem distúrbios alimentares, sendo necessário um acompanhamento e tratamento antes de realizarem qualquer dieta muito restritiva como a do jejum intermitente.
 
Existe ainda muito que se estudar e descobrir sobre o jejum intermitente. Muito se questiona sobre sua eficácia e seus reais benefícios para a saúde. No entanto, independente se você é a favor ou contra o jejum, é necessário equilíbrio. Tenha equilíbrio na busca pela saúde, pelo emagrecimento, pela qualidade de vida, pela longevidade. E não se esqueça, a Clínica Oásis está ao seu lado para te ajudar nessa busca!